Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tuperware. Devolver às mães.Já!

por Pequeno caso sério, em 04.01.18

Era uma vez uma mãe e uma filha que viviam em casas separadas pois a filha já era adulta. Ainda assim, a filha continuava a comer algumas vezes em casa da mãe. E a levar sobras. Muitas sobras. Muitas vezes.

Mãe e filha davam - se bem mas havia um assunto sensível que perturbava constantemente a harmonia familiar : as Tuperwares.

A mãe queixava - se que lhe faltavam Tuperwares. 

A filha insistia que já as tinha trazido...ou então que se esquecia de as devolver.

"Escreve! Assim já não te esqueces! "- dizia a mãe. 

"Eu escrevo...mas esqueço -me na mesma!" - replicava a filha.

 

E isto reinou durante anos.

 

Um dia, farta das desavenças criadas à conta disto, a mãe decidiu arrumar o assunto de vez.

Calmamente,  durante uma hora de almoço, disse à filha que tinha estado a pensar melhor na ideia dela (a filha) fazer uma tatuagem e que até tinha uma sugestão gira .

A filha ficou admiradíssima e quis logo saber o que era.

"É surpresa! Tens de confiar em mim. Só te posso adiantar que é uma coisa útil...e creio que única também!"

 

A filha achou  graça à ideia e lá foram ao estúdio das tattoos .Como era surpresa,foi vendada e a sessão lá começou. 

Como a tattoo era uma coisa simples, rapidamente ficou concluída. 

Quando terminou, o tatuador colocou a rapariga em frente ao espelho e tirou -lhe a venda .

Resultado? 

 

       Mãe e filha não se falam até hoje.

 

2017-12-21 22.42.13.png

 

(Agora digam - me lá se não é um desperdício eu ter este talento todo pra maluqueira  escondido do resto do mundo? Pois.)

csscissors.jpg


12 comentários

Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 05.01.2018 às 07:09

Sabes que também ando com essa vontade há muito tempo? A expressão "bardamerdamasé" não me sai da cabeça...



Esta que te escreve seria incapaz de subir a um palco sem se borrar toda. Maneiras que ficamos assim e já fico muito feliz por debitar umas maluqueiras por aqui e saber e desse lado faço alguém sorrir com isso. É isso é apenas isso que me "move".
Nem imaginas a quantidade de vezes que ouço dos que me rodeiam isso mesmo que acabaste de escrever mas conhecendo - me como conheço, seria incapaz de me expor publicamente.
Mas fica registado tudo o que escreveste. Obrigada pelo incentivo e pela companhia diária . Mesmo.

Comentar post



foto do autor




Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.