Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não me mexam na fruta!

por Pequeno caso sério, em 26.07.21

Se houve coisa boa trazida pelo Covides foi a brilhante ideia de embalar a fruta. Simples, higiénico e eficaz. 

Quem não gostou muito foram as provadeiras.

Não sabem o que são?! Eu explico.

Provadeiras eram/são aquelas 'ssoas que provavam sempre  várias "uma" cerejinha. Ou comem cachos "uma" uvinha. E que cheiram as meloas. E que apalpam as mangas.

Metia-me nojo saber que alguém que tivesse feito sabe Deus o quê com as mãos as metesse na fruta que eu trazia para casa. Ou que lhes esfregasse o nariz com ranho ressequido. Bhléc!

Pena tenho eu que não embalem mesmo a fruta toda.

 

"Ai mas as embalagens escondem sempre o menos bom e exibem só o melhor!"  Ou " Então e o plástico que se gasta no embalamento?!"- alvitram vocês com ar de Mariana Mortágua nas comissões de inquérito. 

E eu respondo:

Deslarguem-me. Não desconversem senão estragam-me o post.

Mas para que conste, sim , lavo a fruta toda quando chego a casa, venha ela embalada ou não. Independentemente do Covides.Cá coisas minhas.

E nisto de não meter a mão na fruta alheia, os xnêses foram mais longe.

Não só se lembraram de embalar bananas, como o fizeram tendo em conta os vários estádios de amadurecimento das mesmas. É o chamado conceito "Uma banana por dia". Começam nas mais maduras e terminam nas mais verdes que terão assim tempo de amadurecer até serem comidas.

Screenshot_20210724-205911_Instagram.jpg

Agora é aguardar que por cá se aplique esta ideia e se acabe de vez com a tragédia das bananas desirmanadas que jazem nas caixas de cartão à espera que alguém lhes pegue. Um dó.

csscissors.jpg

Ver para crer

por Pequeno caso sério, em 19.07.21

Calor extremo em locais onde predomina o frio.

Animais selvagens que procuram refrescar-se nas piscinas das casas. 

Chuvadas repentinas em pleno verão que arrasam povoações inteiras.

Fogos cada vez mais frequentes e arrasadores.

 

E ainda assim, continuamos a assobiar para o lado e a pensar que só acontece aos outros:

Screenshot_20210718-192720_Samsung Internet.jpg

 

 

csscissors.jpg

Uma desgraça nunca vem só

por Pequeno caso sério, em 13.07.21

Na sequência dos últimos posts deste antro de maluqueira (e para encerrar de vez o capítulo "ai-desgraçada-de-mim-que-'tou-que-nem-posso" ), pergunto :

O que é que podia ter calhado mais a Pequeno caso sério durante a fase de recuperação, o que era?

 

a) cagar um pé todo até à virilha;

 

b) deixar cair merdas várias para o chão sendo que não se pode baixar para apanhá-las desenvolvendo assim aptidões muito acima da média ao nível dos dedos dos pés ;

 

c) ter ataques de tosse parecendo uma anormal de cada vez que o faz ;

 

d) ter pânico de espirrar sob pena de rebentar os pontos tal é a força que a expulsão traz mas fazê-lo mais vezes do que antes ;

 

e) todas as anteriores e mais uma e que tu já vais explicar abaixo mas estás claramente a fazer render o peixe e nós a gostar.

 

Se escolheram a hipótese e) acertaram.

Ora como se tudo o anteriormente relatado não fosse suficiente para castigar esta que vos escreve, eis que a mesma foi ainda brindada com a 2ª toma da vacina anti covides. E o que é que isso tem de mais? Nada. Por isso mesmo é que TODA A GENTE devia ir. 

Não é só uma questão de proteção individual mas sim uma questão de saúde pública e como tal, "obrigatória".

Acho vergonhoso que se pondere cancelar as merecidíssimas férias dos profissionais de saúde em função do aumento do número de casos, enquanto há gente que se está simplesmente a cagar para a vacinação e continua a fazer a sua vidinha na esperança "dos outros", os parvos que se vacinam,  conseguirem atingir a tão desejada imunidade de grupo. Quase tão vergonhoso como aquela malta que mete em tudo o que é rede social a fotografia a apanhar a vacina. Ou sentados à espera que passem os 30 minutos. Ou do cartão com a indicação das duas doses concluídas. 

'Migas, isso é para os fraquinhos.

Se querem mesmo mostrar ao mundo a vossa coragem (?) aqui fica uma sugestão :

Screenshot_20210621-175305_WhatsApp.jpg

csscissors.jpg

Aberração

por Pequeno caso sério, em 04.05.21

Cruzei-me com esta "notícia" há dias mas ficou aqui guardada à espera que tivesse tempo para alvitrar  escrever sobre ela.

É sabido que tenho um calhau no lugar do coração mas há dois assuntos que me mexem com as entranhas: crianças e animais. Talvez pela vulnerabilidade de ambos. 

 

Já falei aqui no blog sobre a cena de vestirem os cães para ir à rua. E quando eu achava que vestir os cães era a coisa mais ridícula que o ser humano podia fazer aos pobres bichos, eis que descubro que não. 

Cruzei-me com esta "pérola" que desafia qualquer ideia de merda que já vi (e como sabeis ideias de merda ocorrem-me muito): tatuar animais de estimação, mais concretamente gatos sem pelo, os conhecidos Sphynx.

 

Screenshot_20210502-111535_Samsung Internet.jpg

 

Sim, leram bem.

Alguém se lembrou que era giro tatuar os gatos e vai daí, a moda pegou. Os salões de tatuagens encontraram aqui mais um nicho de mercado que aparentemente estava a proliferar.

 

Screenshot_20210409-070457_Samsung Internet.jpg

 

Assim de repente, ocorrem-me duas perguntas :

1- que donos são estes? 

2- que gente é esta que aceita tatuar um gato a troco de dinheiro? 

 

Aláver.

Como já não fosse diferente o suficiente um gato sem pelo, então ainda vamos tatuar o bicho com frases de merda ou com desenhos? Para quê?! Qual é o objetivo?!

Se queriam uma coisa sem pelo para tatuar, era tatuarem as próprias pilas. Ou os sacos adjacentes. Sem anestesia. E depois andar na rua a mostrar. Isso sim é que era original. Agora tatuar um animal que não se pode defender?! Muito revelador.

Felizmente alguém com cérebro achou a moda um verdadeiro atentado aos direitos dos animais e conseguiu que passasse a ser considerado crime com direito a multa pesada.

Problema?

Tendo em conta que tudo isto aconteceu no Brasil, as palavras crime  e multa até dão alguma vontade de rir... 

Screenshot_20210502-112948_Samsung Internet.jpg

csscissors.jpg

Vidas que dão um filme

por Pequeno caso sério, em 19.04.21

Estar atrasada e pisar merda de cão à porta do carro.

Vir carregada com compras e rebentar a asa do saco espanhando o seu conteúdo incluindo ovos.

Partir a chave na fechadura.

Podíamos continuar mas acho que já perceberam o conceito para exemplificar aqueles dias em que pensamos "nã, esta merda não me está a acontecer" ou "foda-se, contado ninguém acredita" ?

Esqueçam. 

Mas esqueçam mesmo que o que vos trago hoje bate qualquer bizarria que já vos tenha acontecido na vida e põe qualquer argumentista de novela no chinelo. Mesmo das mexicanas.

 

Partilho convosco uma coisa que vi este fim de semana e que creio vale a pena ser difundida.

Uma hora e trinta e sete minutos de "Wtf?!" consequtivos. E quando pensamos que a coisa é incrível demais para ser verdade, continua. Mas em mau. Em muito mau pois revela-nos o lado mais sórdido do ser humano. E acreditem, a este respeito, ainda há muito que desconhecemos, o que pessoalmente me assusta muito.

 

Screenshot_20210418-092728_Samsung Internet.jpg

Sem revelar muito, o documentário conta a vida de três gémeos separados à nascença em 1961 e que por acaso (e depois não querem que acredite nestas coisas🙄), anos mais tarde, se descobrem.

A partir daqui elaborem a história mais mirabolante que conseguirem que vos garanto, ficará a milhas da realidade.

 

Depois disto vou bater na boca três vezes antes de dizer que as merdas mais esquisitas vêm todas cá calhar. E vocês deviam fazer o mesmo.

csscissors.jpg

Tachos e panelas

por Pequeno caso sério, em 14.04.21

Hoje à noite vai para o ar a tão aguardada entrevista a José Sócrates.

A propósito deste tema, desde que foi conhecida a decisão do juiz Ivo Rosa, circula na internet um movimento para que à hora da entrevista se desligue a televisão e se venha para a janela bater tachos e panelas como forma de protesto .

 

tenor.gif

200-1.gif

 

Se eu vou aderir?  Não.  Não vou em carneiradas.

 

Se acho a decisão do juiz vergonhosa? Acho. Mas também acredito que alguém fez muito mal o trabalho de casa o que lhe possibilitou esta tomada de decisão. É como diz um amigo meu: a defesa jogou com o Ronaldo e com o Messi enquanto a acusação tinha jogadores da segunda divisão.  

Screenshot_20210412-071501_Samsung Internet.jpg

 

 

Resta saber :

a cumprir-se a adesão ao movimento que se apregoa, era interessante perceber quantos dos que vão foder as tampas das panelas ou as frigideiras, é que foram votar nas presidenciais. E já agora, quantos é que o tencionam fazer nas próximas legislativas. É que parecendo que não, aí é que começa a festa. E é aí que temos TODOS de fazer barulho. Não com tachos e panelas mas com uma caneta . 

 

csscissors.jpg

Então Pequeno caso sério...

por Pequeno caso sério, em 16.03.21

...tens nada a dzer sobre a entrevista da Meghan e do Harry? - perguntam vocês com esse sobrolho todo mal esgalhado e levantado por ainda não terem ouvido uma palavra minha sobre o assunto. 

Mas não s'apoquentem que é já a seguir.

Em primeiro lugar tenho a dizer que nada do que ouvi me surpreendeu e que ao contrário de muitos, por muito boa atriz que Meghan seja,  acho mesmo que 95% do que ali foi dito, corresponde à verdade. Ainda que nunca se tenham referido  nomes consigo, por exemplo, imaginar a coninha sem sal da Kate a fazer a vida negra (ups!) à pobre da Meghan assim que sentiu que a sua popularidade baixou drasticamente com a chegada da cunhada. Tenho p'ra mim que a betinha mal amanhada (que teve de esperar anos que o careca junior se decidisse) sentiu sempre uma pontinha de inveja pela rápida história de amor vivida (e correspondida) entre o cenoura rebelde e a atriz.

Depois, também acredito que a máquina montada à volta dos Royals não protegeu Meghan da mesma forma que o fez com Kate ou qualquer outro membro da família real.

Mas não foram os únicos. 

O sapo orelhudo (bhléc 🤢) depois de ter sofrido na pele os preconceitos da máquina, não teve tomates de se pôr ao lado do filho que, sendo dele ou não, é reconhecido como tal. Um real cabrão. 

E a 'belha ? Bem, a Belinha não disse um ai...mas eu sei de fonte segura que, para além de ser uma quiduxa, é 'ssoa para não guardar rancores:

 

20210314_122952.jpg

É ou não é a avó que todos gostaríamos de ter? É sim senhor.

csscissors.jpg

Germans do it better!

por Pequeno caso sério, em 12.03.21

Pertencem ao grupo de apressadinhos que mal saiu a lei, foi logo a correr mudar para as novas matrículas?

Se foram , fizeram mal. Muito mal. 

 

É que pode dar mais um bocadinho de trabalho, mas acaba sempre por se saber os podres o ano da viatura. 

Para além disso, não sei se é assim tãããããããõo boa ideia.

Se era para mudar, então que fosse para alguma coisa mais...original.

Eu cá ainda não mudei a minha. E a menos que me obriguem, vai continuar assim. Só faço intenções de a mudar quando me derem a opção de ser eu a escolher a matrícula . Aí sim. 

E a este propósito deixem-me acrescentar que não é só nos carros que os Alemães são muito bons no que fazem. Nas matrículas também :

 

20210307_095054.jpg

 

csscissors.jpg

Então Pequeno caso sério...

por Pequeno caso sério, em 22.02.21

...'qué tens a dzer sobre a chegada da missão espacial a Marte com a largada do robô que vai permitir descobrir se existiu vida no planeta vermelho?- perguntam vocês com esse ar de quem acha que desta é que me apanharam na curva na esperança de eu não perceber nada sobre este assunto.

 

Deixem-me que vos diga que a vossa falta de fé na minha cultura geral é triste. Já deviam saber que o meu espetro de interesses vai desde penicos medievais até ao Cosmos. E é nesse sentido que vos afianço que não havia necessidade de gastar aquela dinheirama toda , sendo que cá na Terra, há muitas coisas onde é necessário investigação a sério. Por exemplo, partilho da opinião do humorista Carlos Vidal quando afirma não perceber como é que o ser humano é capaz de enviar missões a Marte e nós, se queremos ter internet no quarto, temos de comprar amplificadores de sinal. Mistérios desta vida que nunca ninguém há-de desvendar. #arrotapelintra

 

Se queriam saber se há vida em Marte, falavam comigo que ficava mais em conta :

20210220_140400.jpg

Tenho p'ra mim que não é boa ideia mexer com esta malta. É deixá-los sossegados, sim? Agradecida.  Medo? Não! É receio.

csscissors.jpg

A gaja e as vacinas

por Pequeno caso sério, em 19.02.21

A gaja quer falar de vacinas.

 

A este propósito a gaja recorda mais um vergonhoso episódio da sua vida em que foi vacinada na escola, em 1815, no 5º ano, e fez uma fita tão grande, mas tão grande que foram precisas duas pessoas para a segurar

 

 

Escusado será dizer que quando regressou à sala de aula tinha os restantes 25 mitras da turma a gozar com ela e que, não podendo bater em todos, arreou no primo que estava ali mais à mão com a flauta que este estava a tocar enquanto se ria . Resultado: vieram os dois para a rua com falta disciplinar. Ah, belos tempos!

 

A gaja não gosta de vacinas porque é caguinchas tem receios vários, a começar pela frase que todas as enfermeiras dizem e a que a deixa logo exaurida dos nerves

 

 "não dói nada" . 

 

Não dói mas é o caralho! Dói e não é pouco. Porque é que elas não são sinceras? Mais valia dizerem a verdade :

 

Vai doer mas não vais morrer disto, deixa-te de mariquices. ´Xa cá mas é ver o bracinho com as pelangas penduradas. 

 

 

A gaja também não gosta de vacinas porque ouve na televisão muita gente a dizer vácinas . A gaja acha que devem ser a mesma merda mas só para as spétias que devem levar as ditas sentadinhas num sófá , numa sala com muita létcidade e depois de terem desligado o tefone. Caganças.

 

A gaja acha vergonhoso o que se tem passado na corrida desenfreada aos frasquinhos milagrosos onde se vacina toda a gente que pode esperar ao invés de se proteger todos os que estão na linha da frente, sendo que a linha da frente para a gaja são médicos e enfermeiros, pessoas que têm patologias de risco associadas, bombeiros, polícias, pessoal que trabalha nas farmácias e supermercados, professores, educadores e auxiliares e depois, só depois, os outros. E se o problema é não terem gente suficiente para administrar as vacinas a gaja oferece-se para vacinar os bombeiros sapadores de Setúbal.  

 

A única coisa positiva que a gaja retira deste "salve-se quem puder" são os estratagemas que se inventam para contornar o sistema. De todos, o que a gaja mais gostou foi o caso das enfermeiras brasileiras que foram caçadas a vacinar os velhos com a seringa vazia para depois as venderem no mercado paralelo.  

 

 

E por fim, a gaja acha que por muito controle que diga que se tem sobre o processo a verdade verdadinha será sempre esta:

 

 

20210218_172843.jpg

csscissors.jpg


foto do autor




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.