Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"A" tatuagem

por Pequeno caso sério, em 10.07.20

Duas amigas que já não se viam há meses finalmente combinaram encontrar-se. Falaram durante horas pois as novidades eram muitas. De repente uma delas lança a bomba:

 

-Tenho uma coisa p'ra te contar!

 

-Ó pá...tu não me digas que estás grávida?!

 

-Ai parva! Não credo! É uma coisa que apesar de definitiva é menos grave que uma gravidez

 

-Ó porra, conta de uma vez!

 

-Fiz uma tatuagem!

 

-Oh, pffff...isso é que é a novidade?! Grande coisa...tens tantas!

 

-Tu não estás a perceber...esta não é uma tatuagem qualquer...esta é "A" tatuagem! 

 

-Eh lá! Estás a pôr a fasquia muito alta! 

 

-Tinha de ser! Sabes que sempre disse que se fizesse mais alguma tinha de ser uma coisa que me tivesse marcado muito...

 

-E foi?

 

-Foi! Decidi eternizar no meu corpo uma coisa que me marcou durante toda a minha infância...

 

-Ai credo estás a deixar-me curiosa... mostra lá então.

 

Foi aí. 

Foi aí que a amiga levanta a perna das calças e mostra isto:

20200709_180620.jpg

 

csscissors.jpg

Tags:


21 comentários

Imagem de perfil

De Luísa de Sousa a 10.07.2020 às 11:36

Cruzes ...

Beijinhos
Feliz Dia
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 10:26

Cruzes porquê Luísa? Olhe que eu acho a tatuagem bem gira...e se quer que lhe diga até me identifico com ela. Sei de cor a pedagogia do chinelo.
Imagem de perfil

De Anita a 10.07.2020 às 11:54

Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 10:24

Também tens uma Anita?!
Imagem de perfil

De Anita a 13.07.2020 às 09:18

Não sei se alguma vez levei com o chinelo. Não me lembro...
Boa semana
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 13.07.2020 às 22:54

Banona e betinha...pffffffff.
Imagem de perfil

De Anita a 14.07.2020 às 10:09


tenho tudo de betinha... até nasci perto de Cascais...
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 14.07.2020 às 21:20

Ai tia supébabona, sei lá !
Sem imagem de perfil

De Rita Novais a 11.07.2020 às 15:42


Eu não tenho mas estou como tu: conheço bem a pedagogia do Sr. Chinelo da mi mãe e identifico me bem com a tatuagem :)
Está bem gira. Mas.eu escolheria um.chinelo mais de acordo com a artilharia que a minha mãe calçava
Um chinelo mais português, digamos, pois no nosso tempo nao se via muito o chinelo de dedo :)
Ele também te educou bem?
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 16:22

Fez o que pôde...mas o resultado está à vista.
Sem imagem de perfil

De Rita Novais a 11.07.2020 às 19:08

Mas está gira, sem dúvida!
Mas conheces bem a pedagogia do chinelo por levar ou por dar?
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 21:29

Por levar. A minha mãe foi campeã olímpica do lançamento do xnélo.

A única palmada que dei à minha filha ela ainda usava fralda. Tendo em conta que tem 18 anos não me parece que seja necessário repetir.
Sem imagem de perfil

De Rita Novais a 11.07.2020 às 23:01

A minha não lançava, era n mão dela :)
Acho que ainda se.devia.dar esse uso ao.chinelo
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 23:30

O uso do chinelo é controverso. Há quem ache que sim, há quem ache que não.
Sou da opinião que se for caso disso e na hora certa, por que não?
O que não concordo é que se faça disso hábito.
Sem imagem de perfil

De Rita Novais a 12.07.2020 às 12:06

Hum, acho que te estás na contradizer. Por um lado dizes que sem fazer disso um hábito, se for na hora certa, muito bem, ou porque não.
Depois dizes ali à Catarina que não é terapia...explica te lá... :)
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 12.07.2020 às 15:14

Então vamos lá explicar tudo muito bem explicadinho:

1° acredito que a chinelada possa ser terapêutica para quem a dá. Quem a recebe não deve gostar lá muito.

2° já assisti a cenas de putos que uma palmada tinha acabado com a questão na hora e provavelmente para sempre.

Não sou apologista da palmada sistemática MAS creio que como último recurso poderá resolver algumas questões.
Como já disse, a última palmada que dei à minha filha ainda usava fralda. Tem 18 anos e nunca mais foi preciso repetir. Sabe que quando lhe digo "não" é porque já refleti muito e por isso, por muito que não concorde, acata. É essa falta de assertividade que vejo em muitos pais e que não entendo. Pagam para não se chatear com os filhos e isso não pode ser.
Faz parte do crescimento ser irreverente. É aí que entram os pais e, se necessário como último recurso, repito, como último recurso, a "chinelada".
Levei algumas e entendo porquê pois era "levada da breca". Não me lembro de ter levado nenhuma logo à primeira.
Não morri. Não fiquei traumatizada pois foram todas dadas no limite da paciência depois de feitos todos os avisos.
Não há receitas nem livros de instruções. Cada um fará o melhor que sabe perante as situações.
🤷‍♀️


Espero ter esclarecido.
Sem imagem de perfil

De Catarina Chaparro a 11.07.2020 às 19:32

Estou a pensar fazer "A" tatuagem mas na nádega
Também me marcou...
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 21:30

Creio que as gerações de 60/70 sabem bem o que isso foi.
Sem imagem de perfil

De Catarina Chaparro a 11.07.2020 às 23:02

E 80 tb. Até um pouco de 90
Era uma excelente terapia!!
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2020 às 23:32

Terapia?! Só se fosse ba ótica do utilizador

Comentar post



foto do autor




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.