Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Como impressionar um homem

por Pequeno caso sério, em 09.05.16

A ideia de escrever sobre isto veio de um post escrito pela Magui  a propósito de uma descoberta que ela fez e que de acordo com os médicos isto não deve ser revelado.

Ora como não podia deixar de ser esta menina (euzinha!)  já experimentou (por motivos de saúde claro está) o procedimento médico mais humilhante de todos os tempos: a colonoscopia. 

A preparação é uma merda. Literalmente. Há que deixar a tripa bem limpinha para que o exame possa ser bem feito .

Depois vem a parte boa . Dão-nos uma anestesia levezinha mas que nos transporta para um sitio tão bom mas tão bom que depois não queremos acordar. Foi aí que percebi na pele porque é que há tantos janados neste mundo. Aquela merda é mesmo do melhor !

A seguir à anestesia não me lembro de mais nada à exceção do despertar. Digamos que foi uma das maiores vergonhas do meu currículo enquanto mulher.

Ora sucede que uma 'ssoa está ali sossegada a curtir o efeito da anestesia, dormindo qual princesa da Disner , quando vem o enfermeiro para nos acordar. Não foi com beijinhos, não senhor, mas foi meiguinho.

Chamou-me uma , duas , três vezes e parece que eu não queria acordar. 

Quando finalmente abri os olhos, ouvi da boca do enfermeiro ainda por cima brasa  a seguinte frase :

 

Então, não queria acordar hein? Isso é que foi cá um festival de castanholas !

Digam lá se eu não sei mesmo como impressionar um homem?!

csscissors.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


19 comentários

Imagem de perfil

De M&Ms a 09.05.2016 às 07:48

Ahahahah!   Espero nunca ter que passar por esse exame!
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 10:34

Não é nada de extraordinário. A preparação é um bocadinho chata. O despertar é que pode ser ...sonoro!
Imagem de perfil

De M&Ms a 09.05.2016 às 10:39

A mim assusta-me. Tal como as endoscopias. Mas esse sempre teve um despertar mais engraçado...e um bocadinho embaraçoso. Mas pode-se sempre alegar que a culpa foi da anestesia...  E que não estavas nas tuas perfeitas capacidades...senão em vez de castanholas, certamente tinhas tocado o danúbio azul com o rabiosque! 
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 13:24

O Danúbio Azul com o rabiosque muito bom!
Imagem de perfil

De Chic'Ana a 09.05.2016 às 11:51

Ui! Nem quero imaginar!
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 13:24

É melhor é. Foi vergonhoso 
Imagem de perfil

De saracasticamente a 09.05.2016 às 11:52

 deves estar orgulhosa!
Imagem de perfil

De Psicogata a 09.05.2016 às 15:24


Com este episódio acho que bateste todas as peripécias da blogoesfera !
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 18:00

Dizes isso porque a malta da blogosfera tem algum receio de assumir estes fenómenos naturais.
Assim que este pessoal ultrapassar a barreira da vergonha tu vais ver só o festival que vai ser!
Ainda vamos rir muito com os podres uns dos outros .Eu já dei o mote. 
Imagem de perfil

De Psicogata a 09.05.2016 às 18:26

Aahahahah
Acho que fizeste muito bem
Sem imagem de perfil

De Maria João Machado a 09.05.2016 às 16:47

Eu poderia comentar este post pois submeti-me a uma coisa dessas (colonoscopia) há um mês, mas é melhor não, pois não tinha sequer pensado nesse pormenor das castanholas. Deixem-me estar com a recordação de um belo sono e pronto.  Estive a dar uma vista pelos seus posts (vi o seu blog n'"AGaffe e as avenidas" e vou aproveitar uma parte de um texto seu para dizer o que achei - As gargalhadas que dei ao escrever todas as maluqueiras  e ao ler os vossos comentários nunca, repito, nunca vos vou conseguir explicar o bem que me fizeram. - REFRASEANDO - as gargalhadas que dei ao ler todas as maluqueiras (sem ofensa) e ao ler os comentários (não li todos), nunca lhe vou conseguir explicar o bem que me fizeram. Vou segui-la (sem assédio qualquer que seja).
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 17:49

Eh pá...esta agora bateu forte. E eu a pensar que as minhas maluqueiras nunca interessariam a mais do que duas ou três alminhas.
Muito obrigada pelas palavras tão gentis que me dirigiu . Tudo farei para não defraudar as suas expetativas enquanto minha seguidora . Volte sempre 
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 09.05.2016 às 17:30


YES!
Já fiz sem anestesia (que burra que fui!) porque tenho fama de tudo aguentar.

Custou-me a preparação, sim, mas durante o exame não me recordo de ter feito um festival de castanholas.






Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 17:54

Minha cara: é que nem consigo conceber um exame destes sem ser drogada!
Quanto ao festival de castanholas não foi durante o exame mas sim depois.
Fiquei mais tranquila quando ouvi o senhor que estava na "box " ao lado da minha pois perto dele o meu festival foi um concerto para bebés! 
Eita gente peidorreira jajuzzzzzzzzz 
Imagem de perfil

De Quarentona a 09.05.2016 às 22:01

Ahahahahahahah :D
Se algum dia tiver que fazer o mesmo (espero que não) vou-me lembrar disto!!! :D
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 22:32



'Tou mesmo a ver que à conta disto, ainda sou condecorada como a Miss Castanholas da blogosfera. 
Sem imagem de perfil

De Magui Ferreira a 09.05.2016 às 23:14

É bom que se reponha a verdade, vamos lá a ver, durante o exame enchem o intestino duma pessoa de ar, querem que o ar saía por onde?? Acertou quem disse: pelo cú. Para mais é um ar com dotes musicais, é um dó maior.😨
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 09.05.2016 às 23:18



Ai pá...só tu!
Dó?! Dó tive eu do enfermeiro coitadinho que teve de levar com aquela chinfrineira toda ! Há empregos muito difíceis . 

Comentar post



foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.