Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sou gaja e portanto(tirando algumas exceções)  percebo muito pouco de futebol. Mas quando joga a seleção visto a camisola e transformo-me num pequeno Gremlin.

Muito se disse desde o início do Euro.

A seleção Portuguesa não era uma das favoritas. Aliás, foi sempre o patinho feio de todo o campeonato. Não só para os de fora como para alguns conterrâneos que agora  se obrigam  a engolir a bucha .

Contra tudo e contra todos a tal seleção menor e inofensiva foi ,paciente e estrategicamente, subindo os degraus. 

No jogo de ontem o mais temido aconteceu como aliás o selecionador  Francês já tinha advertido . (... )"Se há um plano para parar o Ronaldo ainda não há quem o tenha encontrado. É um enorme jogador, tem uma qualidade impressionante. No futebol há duas coisas difíceis de contrariar: a velocidade e capacidade aérea. Neutralizá-lo seria perfeito, mas limitar a sua influência já seria bom."(...)

Didier Deschamps esqueceu-se de um pequeno pormenor:

mesmo saindo de maca do relvado depois de uma agressão propositada casual (por um jogador que não só não vê qualquer cartão como ainda é eleito pela UEFA como jogador do 11 ideal) , o capitão delegou em lágrimas a braçadeira mas também a força de vencer . E foi aí que uma traça, uma simples traça , de todos os sítios do mundo para pousar , decide fazê-lo  na face do capitão dorido (coincidência número dois).

Foi nesse instante que a maré virou.Mesmo com o capitão ferido e neutralizado o patinho feio sem hipótese nenhuma na final, bateu o favorito. Em casa.

Se foi bem feito?  Não. Foi mais que isso. Foi justiça divina. Não apenas com o que se passou durante o jogo mas sobretudo pelo dirty game  feito fora das quatro linhas.

Houve um jogador da seleção francesa que disse em conferência de imprensa antes da final que há outros meios de transporte para além do helicóptero numa clara e irónica alusão às capacidades de Cristiano Ronaldo. Esse jogador tinha razão. Podem agora aproveitar o autocarro que foi visto a desfilar pela capital francesa antes do jogo. 

Outra "coincidência"  engraçada . A torre Eiffel não se iluminou por culpa dos adeptos que se esqueceram de votar na na hashtag que ditaria que a Torre Eiffel fosse pintada com as cores da bandeira nacional. Seria obvio para qualquer pessoa inteligente que assim fosse qualquer que tivesse sido  o vencedor. 

Para terminar deixo um vídeo  que resume  aquilo que devia ser o futebol.

Grande lição dada por uma criança  que, para mim, a seguir ao Rui Patrício, devia ser o herói deste Europeu de Futebol 2016:

csscissors.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Maria Araújo a 11.07.2016 às 18:49

Muito bom, parabéns.
Ontem, depois da festa na rua, deitei-me às 4h a ver os canais de televisão, e vi esta imagem deliciosa, que me fez chorar.
Uma grande lição de respeito e humildade, a desta criança, o que faltam na maioria das pessoas que massacraram os nossos jogadores, e hoje aplaudem-os.
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2016 às 23:01

É sempre assim: passamos de bestas a bestiais à velocidade da luz.
Ainda assim, tenho  orgulho em ser 'tuguinha! Image
A lição de civismo que esta criança dá devia ser passada nas escolas francesas!
Sem imagem de perfil

De Magui Ferreira a 11.07.2016 às 19:08

Sou franca, estava muito céptica em relação ao sucesso da equipa portuguesa e felizmente fui brindada com esta lição que deram, com uma vitória limpa e digna. 
Quanto ao vídeo, que pena não sermos sempre crianças.
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 11.07.2016 às 23:05

Não faz mal ser-se céptico desde que  se ,no final, se dê a mão à palmatória.
Parte de mim será sempre criança e acho que temos muito a aprender com elas. 
Se queres uma resposta sincera e sem filtros então pergunta a uma criança .Image
Sem imagem de perfil

De Maria João Machado a 12.07.2016 às 13:49

Confesso que fui dos que não acreditava na vitória. Não por não acreditar no valor ou na capacidade deles, mas sim para me precaver de um desgosto se perdessem. Preferi assim, a dúvida e no final o gosto da vitória. Não sou maluquinha do futebol, mas selecção é selecção e não consegui ver o jogo! E viva o Patrício, para mim, o homem de todos os jogos!! não desfazendo nos outros (todos) claro!
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 13.07.2016 às 00:19

Tem toda a razão:a seleção é a seleção ! 
Vejo os jogos todos, grito, dou táticas (!!!) , digo palavrões e emociono-me ;quando vejo um capitão em lágrimas ser premeditadamente aniquilado naquele que era um dos momentos da sua carreira.
Mexe comigo ver um jogador como o Pepe ter como primeira reação assim que acaba o jogo vomitar. Creio que foi uma descarga física de toda a pressão existente.
Comove-me um jogador completamente de rastos (Raphael ) que se arrasta para o campo cheio de cãibras mas que não desiste.
Enerva-me que o guardião desta equipa tenha sido tardiamente reconhecido.

Chateia-me que o maestro de toda esta orquestra tenha sido apedrejado por alguns dos seus pares que hoje lhe dão palmadinhas nas costas.
Tudo isto mexe comigo e lá diz o ditado "quem não se sente, não é filho de boa gente."
Posso garantir-lhe que sou boa pessoa , filha de gente ainda melhor que eu e que me ensinou a valorizar o que é nosso.
Image
Sem imagem de perfil

De Jef a 12.07.2016 às 21:12


Euzinha gosto muito de futebol e percebo assim, assim...
 Adorei a final ter sido contra a França precisamente para nos deliciarmos com a oportunidade de lhes dar esta lição. Nojentos??!!
Contra os canhões marchar, marchar!!!!
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 13.07.2016 às 00:24

Não amiga, não é assim. Vou ensinar-te:
"contra os cabrões, jogar e ganhar!Image 

Comentar post



foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.